Archive for the ‘Home’ Category

  • Cena 1: o elemento invisível e as novas impressões

    Fev 25, 21 • felipecabral • HomeNenhum ComentárioLeia mais »
    Cena 1: o elemento invisível e as novas impressões

    Sim, havia na desgraça uma parte de abstração e de irrealidade. Mas quando a abstração começa a matar-nos, é necessário que nos ocupemos da abstração. (p.81) Albert Camus. A peste. Férias de Verdade Ao primeiro dia de março do ano de 2020 embarcamos – eu, minha companheira e nossa filha – rumo ao Chile. A ideia era passar dez dias conhecendo um pouco mais desse pedaço da América Latina, extensa terra que se banha ao Pacífico de um lado e se guarda, imensa, com suas cordilheiras do outro. Fomos de férias, com agenda e compromissos pintados para alegria, sem grandes pressas ou sobressaltos. Dividimos o plano de viagem entre capital e litoral, tentando aproveitar os dias sem precisar correr para ver o país todo de uma única vez, afinal, sendo o Chile um país tão extenso, essa não deveria ser uma viagem definitiva. Jamais poderíamos antever o que viria, embora alguns sinais tenham passado por nós. Foi melhor assim. Há certas coisas que não devem ser antecipadas para benefício do prazer em viver o agora. Foram dias mágicos. Houve cansaço, houve pequenos percalços, mas a aventura, o novo e o belo estiveram em nossos horizontes e fermentaram ideias há tempos esquecidas. Vimos o mar e a montanha, as planícies secas, mas também as vinhas verdes cobertas de cachos de uvas. Andamos como anônimos usando transporte coletivo e experimentando pratos locais

  • Campos do Jordão – Uma pedalada inesquecível na Serra da Mantiqueira da Chuva de Prata até o Horto

    Out 9, 20 • felipecabral • ciclismo, Home2 ComentáriosLeia mais »
    Campos do Jordão – Uma pedalada inesquecível na Serra da Mantiqueira da Chuva de Prata até o Horto

    Era para ser um dia qualquer, uma quinta-feira fria e chuvosa na montanha na qual eu estaria sentado em frente a janela ouvindo o vento e os passarinhos que teimam em cantar sob quaisquer circunstâncias. Mas não foi bem assim, aquele dia reservava algo marcante para minha memória. Mas antes de falar sobre isso, aqui vai uma pequena introdução. Em 2020, diante da grande pandemia, decidi que empenharia-me em mudar hábitos e retomar sonhos, entre os quais o de ter de volta uma bicicleta para chamar de minha e pedalar sempre que possível, onde quer eu estivesse. Esse intento começou a ficar mais forte em maio de 2020 quando percebi que estávamos diante de uma ocorrência sem precedentes e que isso limitaria severamente minha capacidade de me exercitar ou de simplesmente me deslocar em distâncias consideráveis por um bom tempo, mas como não tinha uma magrela sob o meu teto há alguns anos, tive de gastar um tempo com pesquisas e consultas aos amigos ciclistas antes de tomar a decisão de finalmente adquirir uma. Não foi tão fácil quanto eu imaginava, mas foi certamente um período muito intenso e animado no qual também tive a oportunidade de pedalar em outras bicis antes de tomar minha decisão e de conhecer inúmeros blogs e canais de vídeo cujo tema principal era a temática da bicicleta e da mobilidade ativa. Outro fato que

  • Corrida Internacional de São Silvestre: minha primeira participação

    Jan 6, 20 • felipecabral • corrida, HomeNenhum ComentárioLeia mais »
    Corrida Internacional de São Silvestre: minha primeira participação

    O ano de 2019 foi denso, arrastado, complexo. Um ano que, no âmbito pessoal e no trabalho, começou com uma perspectiva muito instigante, totalmente nova, mas no desenrolar de dias, de janeiro a abril, patinava e apresentava dificuldades muito maiores do que eu era capaz de prever ou imaginar. Pouco a pouco tive de encontrar soluções para questões, a principio, muito espinhosas. E pouco a pouco fui assistindo a mudanças externas e principalmente internas, cavando meu próprio abrigo, usando as sombras para contar novas histórias. Um novo papel, novos desejos, num novo mundo com cara de velho. Os tempos chegaram com atraso, vieram em 2019 marcados por velhos sabores, pela dureza de outros tempos que agora se reinventam e se apresentam como o paradoxo a ser digerido. Tudo aquilo que não é bem resolvido de outrora, por vezes volta, e ao voltar pode ser muito mais desafiante do que antes. Desconsidera as formulas prontas e exige repertórios novos. Mas assim como começou, 2019 terminou e cheguei ao fim assistindo tudo de pé. Ao fechar de cortinas do último dia do ano, pela primeira vez, decidi participar a famosa Corrida Internacional de São Silvestre! Muito quente (quase 30 graus), muita gente (32 mil inscritos esse ano), de muitos lugares (Brasileiros de todos os cantos mais atletas de 41 países), muita alegria e muita energia!!! Nada pouco para um evento com

  • Sobre minha quarta meia maratona e o que eu continuo aprendendo

    Nov 25, 19 • felipecabral • cotidiano, HomeNenhum ComentárioLeia mais »
    Sobre minha quarta meia maratona e o que eu continuo aprendendo

    No dia 15 de setembro de 2019 completei minha quarta corrida meia maratona na cidade de São Paulo. Já corri muitas corridas curtas, de 5, 7, 10, 12km, mas Meia Maratona não é algo que dá pra fazer numa segunda-feira qualquer, ou pelo menos não até agora. Quem sabe um dia essa afirmação não muda, não é mesmo? Dizem os grandes corredores que com o tempo a corrida de longa distância se torna tão cotidiana quanto tomar café da manhã. Comecei a correr em 2016 como atividade física para lidar melhor com ansiedade e insônia. Funcionou! A corrida é um produtor natural de endorfina, um liberador de tensões, uma atividade que exige gasto de energia. Na época eu não praticava nenhuma atividade física regular. A corrida foi aos poucos me conquistando e hoje são raras as semanas em que eu não corro pelo menos duas vezes. A corrida te ensina muita coisa como disciplina, paciência e auto-desafio, mas também te ensina sobretudo a aceitar as suas limitações humanas, te mostra que por mais que você faça planejamentos as coisas vão sair diferentes na hora e te ensina que não importa ganhar (afinal pelo critério de vitória só pode haver um, o de menor tempo), mas sim fazer parte e estar em sintonia com algo maior. Te ensina a respirar. Te ensina a pisar, a parar, a curtir o sorriso daqueles

  • #Agile – Como lidar com escopo de projeto? Aberto vs Fechado

    Nov 21, 19 • felipecabral • Home, TecnologiaNenhum ComentárioLeia mais »
    #Agile – Como lidar com escopo de projeto? Aberto vs Fechado

    Houve um tempo, na prática de desenvolvimento de software, onde quaisquer projetos eram pensados em sua totalidade desde o princípio. Se houvesse um desafio, uma proposta, uma ideia, isso já era suficiente para despertar a necessidade de pensar em tudo, isto é, princípio, meio e fim antes mesmo de começar. Esse modus operandi está ligado a um mindset de um mundo mais contido, com maior noção do todo, mais fixo em suas estruturas de funcionamento, está ligado a crenças e desejos de permanência, algo que fazia muito mais sentido até há pouco tempo. Assim nasceu a ideia de Escopo Fechado, mesmo sem ser chamado por este nome. Basicamente toda metodologia (ou toda forma de trabalho) que concebe o desenvolvimento de um produto ou de um projeto desta forma, isto é, tratando a necessidade de pensar em cada detalhe do escopo antes mesmo de começar, pode ser enquadrada como uma metodologia de escopo fechado, modo cascata ou gestão de projetos clássica. Em geral isso vem acompanhado também de implicações financeiras como um orçamento fixo e pré-determinado, sem muito espaço para avaliação de cenário, critérios de qualidade pareados ao valor investido e apreciação constante de expectativa. Felizmente esse cenário mudou já há algum tempo, embora possa estar presente em muitas iniciativas. Trabalhar com Escopo Fechado tem sido um dos principais entraves de muitos gestores, em geral stakeholders que ou não compreenderam as

  • #SCRUM – Como trabalhar os tempos e prazos usando framework ágil?

    Out 10, 19 • felipecabral • HomeNenhum ComentárioLeia mais »
    #SCRUM – Como trabalhar os tempos e prazos usando framework ágil?

    O #framework ágil #SCRUM, por vários amado, sempre citado, as vezes mal usado ou mal compreendido, abrange noções de uso do #tempo para fragmentar, organizar e performar melhor o trabalho. Isso, por si só, não é garantia ou sinônimo de “Trabalho Rápido” ou de “Trabalho Ágil” como podem pensar desavisados ou marinheiros de primeira viagem, mas sim de trabalho organizado no tempo, de trabalho temporalmente planejado. Por consequência, quando responsavelmente empregadas, as noções de uso do tempo do framework trazem maiores resultados, criando uma sensação de agilidade. O mais importante neste território é certamente a valorização e o manejo do tempo, é disso que se trata, mais do que fazer as coisas heroicamente rápidas. “Time-Box”, “Timeboxing” ou “Time-boxed” são termos comumente usados para designar a principal noção de uso do tempo no scrum. Em língua portuguesa, semanticamente falando, faz muito sentido traduzir a expressão para “Janela de Tempo” e vou adotar essa nomenclatura por aqui apesar de saber que numa tradução literal o resultado seria outro. Considerar uma ou mais atividades como time-box significa que elas terão uma janela de tempo com começo e fim definidos. Seria como pegar algumas tarefas e colocá-las dentro de uma “caixa de tempo” com tamanho determinado, nem maior nem menor. Toda atividade ou cerimônia time-boxed deve ter um tempo limite que não deve ser ultrapassado, no entanto elas podem ter critérios diferentes com relação

  • #SCRUM – Qual é estrutura básica para uma lista de atividades (backlog) num projeto ágil?

    Out 9, 19 • felipecabral • HomeNenhum ComentárioLeia mais »
    #SCRUM – Qual é estrutura básica para uma lista de atividades (backlog) num projeto ágil?

    Se você trabalha com produtos, sobretudo produtos digitais, se trabalha com a construção deles, não há muito como fugir da necessidade de organizar uma lista de atividades e priorizá-las de acordo com critérios de retorno, valor e tempo de execução. Essa lista é seu backlog! Uma escola que lida muito bem com isso é o scrum. Muito falado e infelizmente pouco praticado, o método vai completar 20 anos de sucesso! Mas nem tudo são flores, sobretudo no Brasil. Já vi muitas empresas tendo dificuldades de entender o que é metodologia ágil e como aplicar alguns conceitos na prática. Fiz esse desenho para ajudar times e colegas de trabalho na compreensão do backlog. O backlog é um artefato no scrum e ele é estruturado assim: 1. No topo vem os ÉPICOS (epics). Épicos, em linhas gerais, são “grandes histórias” que: • Não cabem em uma iteração (sprint) pois são grandes demais • Não cabem em apenas uma história (issue) pois são grandes demais • Não cabem em uma estimativa de realização (story points) pequena • Épicos devem ter uma perspectiva de começo, meio e fim. Eles não são simples tags de categorização de atividades, são objetivos a serem alcançados. Exemplos de ÉPICOS: • Um módulo de relatórios para os clientes • Um módulo de “Perfil do Usuário” • Um cadastro • Um novo layout do sistema ou aplicativo inteiro 2. Dentro dos ÉPICOS estão as HISTÓRIAS (issues). As

  • Fazendo uma composteira

    Jan 6, 15 • felipecabral • Home, Open Source29 ComentáriosLeia mais »
    Fazendo uma composteira

    O ano de 2015 começou e aproveitei os dias de inicio de ano para tocar adiante alguns projetos que estavam parados. Um destes projetos era o de uma composteira grande para produção de adubo. Depois de ensaiar com composteiras menores e improvisadas, resolvi arregaçar as mangas e fazer uma composteira mais planejada numa casa de campo. Tive uma ajudante de ouro e acho que no fim das contas saiu tudo como eu esperava. Deixo então aqui alguns registros, ou melhor, passos do que foi feito. Antes duas notas importantes: A – Recentemente meu irmão me apresentou o livro “Manual do arquiteto descalço”. Vale muito a pela ler, mesmo que nem de longe você seja arquiteto. A proposta do livro é mais “do it your self” e lembra bastante o projeto “Open Source Ecology“. Certamente me inspirou ainda mais na construção dessa composteira. B – Existem muitos tipos de composteiras que são uma mistura de compostagem com minhocário. A proposta aqui é focada mais na compostagem de resíduos de jardim, isto é, em restos de folhas, galhos e cascas de árvores. Se você quer uma composteira mais diversificada, vale a pena procurar outros modelos, pesquisar antes de decidir. Há composteiras feitas em recipientes próprios, com andares diferentes para cada estágio de decomposição: Já outras podem ser feitas de um único recipiente, como é o caso da que vamos abordar aqui. Alguns

  • #CryptoParty no #FISL15

    Mai 2, 14 • felipecabral • Home, Open Source, política, TecnologiaNenhum ComentárioLeia mais »
    #CryptoParty no #FISL15

    Depois da ascensão das criptofestas em 2012 por todo o mundo, depois de tudo que aconteceu durante 2013 com relação ao vazamento de informações sobre os governos dos five eyes (sobretudo NSA nos EUA), depois da primeira Cryptoparty Edição Salvador 2013, depois da Cryptoparty São Paulo 2013 e do sucesso da Cryptorave 2014, eis que vamos ter uma CryptoParty no FISL 2014! As atividades irão ocorrer durante o FISL 15 e a programação segue abaixo e também no site do FISL15. Antes disso também teremos uma espécie de encontro Cryptoparty Pré-fisl nos dias 05 e 06 de Maio, na FACCentro. O objetivo é dialogar com membros de movimentos sociais que queiram saber mais sobre vigilância na rede, segurança digital e criptografia. Dia 05 das 19 às 21 hrs e dia 06 das 14 às 19 horas. Os dois eventos são abertos e gratuitos. 1. Cryptoparty PRE-FISL15 – FACCCENTRO Rua Marechal Floriano Peixoto, 185 – 8º andar Porto Alegre – Rio Grande do Sul 2. CryptoParty FISL 15 – PUCRS Av. Ipiranga, 6681 Partenon Porto Alegre – Rio Grande do Sul Programação Cryptoparty FISL15 Dia 07/05/2014 13H – Debate de abertura: As perspectivas e os desafios da comunicação segura Local: sala 41F Palestrantes: Daniel Kahn Gillmor, Silvio Rhatto, André Bianchi 16H – Compilação Determinística Local: sala 40T Palestrante: Seth Schoen Dia 08/05/2014 14H – Technology that controls, technology that liberates

  • Artigo 15 e economia da vigilância: Marco Civil da Internet

    Abr 25, 14 • felipecabral • Home, Open Source, política, Tecnologia2 ComentáriosLeia mais »
    Artigo 15 e economia da vigilância:  Marco Civil da Internet

    O inicio de 2014 foi marcado por uma grande mudança no cenário dos direitos da Internet no Brasil. Há meses paralisado, o projeto do Marco Civil da Internet [1] – constituição brasileira de direitos e deveres sobre a rede em territórios pertencentes ao Estado, numa tacada única que durou pouco mais noventa dias, foi finalizado, analisado, votado no congresso, votado no senado e por fim sancionado pela presidenta em exercício Dilma Rousseff [2]. Um alívio para todos os ativistas que, durante anos, lutaram por sua consolidação e um golpe para aqueles que estavam de olho no crescimento da economia da vigilância. Dado esse contexto, eis alguns pontos de analise do que isto pode representar. ___ Na Austrália, durante os anos de 2011 e 2012, o cenário político-legislativo e as pressões sobre os temas ligados a privacidade e segurança digital eram bem próximos aos do Brasil. Isso acabou por motivar a resistência de uma série de ativistas e culminou na realização da primeira idéia de Cryptoparty [3] do mundo. Discursos e projetos de lei em ascensão que de certa forma impunham a guarda de logs e quebra de privacidade aos usuários da rede foram estopins para essa discussão e esse embate. A história parece se repetir em solo brasileiro, mas com cores e desfechos diferentes e apresenta características sintomáticas dada a observação das contradições presentes. Há menos de duas semanas do

Felipe Cabral

↓ More ↓